Obras de artistas Yanomami são exibidas em Xangai, na China

Mostra “Árvores”, exposta pela primeira vez em Paris, apresenta mais de 200 obras de quase 30 artistas internacionais, dentre eles Kalepi Sanöma, Joseca e Ehuana Yaira Yanomami

Por Evilene Paixão

Ehuana, uma das artistas Yanomami presentes na exposição “Árvores”, em Xangai|Stephanie Vieira/Platô Filmes/ISA
Joseca e outros dois artistas Yanomami têm obras expostas em Xangai, China||Daniel Tancredi/Platô Filmes/ISA
Obras dos artistas Yanomami expostas no museu Central de Arte, em Xangai|Orange Image
Joseca é artista e xamã da aldeia Watoriki, localizada na Terra Indígena Yanomami|Daniel Tancredi/Platô Filmes/ISA
Ehuana com a filha e algumas de suas obras|Daniel Tancredi/Platô Filmes/ISA
Ehuana foi a primeira mulher Yanomami a escrever um livro em sua própria língua|Daniel Tancredi/Platô Filmes/ISA
Kalepi Sanöma, de 26 anos, tira sua inspiração da observação da floresta|Daniel Tancredi/Platô Filmes/ISA
Kalepi Sanöma|Daniel Tancredi/Platô Filmes/ISA

Realização

As obras de Joseca, Ehuana e Kalepi foram levadas para a exposição pelo antropólogo francês Bruce Albert, que atua em defesa do povo Yanomami desde 1975. Bruce Albert foi co-curador de duas exposições para a Fundação Cartier para Arte Contemporânea: a “Espírito da Floresta”, em 2003 e “Árvores”, em 2019. Ele ressalta que atualmente “os artistas Yanomami são expostos em museus e galerias de arte contemporânea de Paris a Nova York, de São Paulo até Xangai”.

O ISA tem como foco central a defesa de bens e direitos sociais, coletivos e difusos relativos ao meio ambiente, ao patrimônio cultural e aos direitos dos povos

O ISA tem como foco central a defesa de bens e direitos sociais, coletivos e difusos relativos ao meio ambiente, ao patrimônio cultural e aos direitos dos povos